HOME
INSTITUCIONAL
PREVENÇÃO DE MOLÉSTIAS
MOLÉSTIAS OCULARES
CONSULTAS
EXAMES
CIRURGIAS
LENTES DE CONTATO
LASER
IMO IN COMPANY
IMO MELHOR IDADE
IMO NA MÍDIA
PRODUÇÃO CIENTÍFICA
CONTATO
Depressão em pacientes com degeneração macular pode ser prevenida
O primeiro estudo clínico a examinar a relação da baixa visão ou visão subnormal e do tratamento de saúde mental mostrou que uma abordagem integrada pode reduzir a incidência de depressão pela metade entre as pessoas com baixa visão ou visão subnormal devido à degeneração macular relacionada à idade (DMRI). Os resultados da pesquisa foram publicados na Ophthalmology, revista da Academia Americana de Oftalmologia. “A baixa visão ou visão subnormal é uma deficiência visual que interfere na capacidade da pessoa de realizar suas tarefas diárias. O problema da visão não pode ser corrigido com o uso de óculos comuns, lentes de contato, medicamentos ou cirurgia. Uma causa muito comum de baixa visão ou visão subnormal é a degeneração macular relacionada à idade (DMRI), uma condição que causa perda da visão central”, explica o oftalmologista Virgílio Centurion (CRM-SP 13.454), diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.
Brinquedos que podem prejudicar a visão das crianças
“Segundo dados da entidade médica americana, cerca de 1 em cada 10 crianças que sofre uma lesão ocular é atingida por brinquedos, de acordo com um estudo de 2014. Cerca de 256.700 lesões relacionadas com brinquedos foram tratadas em salas de emergência em todo o país, em 2013, segundo o relatório da US Consumer Products Safety Commission”, afirma o oftalmologista Virgílio Centurion (CRM-SP 13.454), diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.
Diabetes e visão: o que as pessoas não sabem pode deixá-las cegas
Pessoas com diabetes são mais propensas a desenvolver doenças oculares que podem levar à cegueira. No entanto, estudos recentes revelaram uma baixa conscientização sobre a questão entre as etnias em maior risco de diabetes, além de uma baixa realização de exames oftalmológicos preventivos em diabéticos. A recomendação médica é a de que as pessoas com diabetes façam um exame de fundo de olho anualmente.
Plugue ocular reduz dor e inflamação após a cirurgia de catarata
O primeiro plugue ocular, implantado no canal lacrimal, desenvolvido para tratar a inflamação e a dor, após a cirurgia de catarata, se revelou uma alternativa confiável ao uso dos colírios. As informações são de um estudo – Evaluation of Sustained-Release Dexamethasone for Safety and Efficacy After Cataract Surgery in a Multicenter Study (PA004) – apresentado durante a reunião anual da Academia Americana de Oftalmologia, que aconteceu em outubro, em Chicago, EUA.
Tecnologia pode ajudar idosos com baixa visão ou visão subnormal
Problemas de visão podem levar à perda de emprego, dificuldades sociais e custos com quedas e acidentes. E apesar dos exames oftalmológicos de rotina ajudarem a detectar os primeiros sinais de perda de visão e a evitarem a progressão de algumas doenças oculares, são poucos os adultos que efetivamente fazem suas consultas anuais. “Baixa visão e cegueira são problemas muito mais delicados do que podemos imaginar, à primeira vista. Além das consequências profissionais e sociais da perda da visão, há custos médicos importantes. E não menos importantes são as lesões devido às quedas. A baixa visão é responsável por cerca de 18% das fraturas de quadris”, afirma o oftalmologista Juan Caballero, (CRM-SP 63.017), que também integra o corpo clínico do IMO
BUSCA
Palavra-chave
LINKS RELACIONADOS
Quem tem catarata pode ser operado, mesmo na presença de outra doença ocular?
Catarata a laser: cirurgia sem corte é possível?
NEWSLETTER
Cadastre-se para receber novidades do IMO.
Nome Completo
E-mail
NOSSOS INFORMATIVOS
Ceratocone
Conjutivite
INFORME LEGAL
As informações contidas em nossa homepage têm caráter informativo e educacional. O seu conteúdo jamais deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Em caso de dúvida, o profissional médico deverá ser consultado, pois, somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do Conselho Federal de Medicina.

Dr. Virgilio Centurion
Diretor Clínico
CRM-SP 13.454